Como superar a solidão

Acredito que a maioria dos seres humanos já se sentiu ou ainda vai sentir a tão temida solidão, mesmo estando acompanhado, é muito comum que este sentimento aflore em determinados momentos de nossa vida.

A questão é: será que é tão ruim estar só?

Será que realmente estamos sozinhos?

Em minha profissão como terapeuta holístico, atendo muitas pessoas que apresentam sintomas classificados como “depressão”, muitas delas fazem o uso de medicamentos pesados para resolver certas questões que jamais serão resolvidas com drogas sintéticas. A única solução para se libertar totalmente da depressão é compreender a vida, entender melhor o que é a consciência e suas manifestações na condição de seres humanos.
Sentir solidão é algo muito comum e totalmente necessário para nossa evolução. É importante estarmos sozinhos, para identificarmos com melhor exatidão aquilo que pensamos, o que sentimos e o que realmente somos. Estar só, é a melhor e mais poderosa forma de comungarmos com Deus, de compreendermos seu AMOR e infinita inteligência.

Hoje conversei muito com uma pessoa sobre isso, e percebi que mesmo ela estando acompanhada de sua família, de vários filhos, de amigos, sente-se só. Isso pode ser devido à vários fatores, e neste caso, percebi nitidamente que a pessoa em questão está revivendo traumas de infância, que muitas vezes projetam-se em nossas vidas através de sentimentos difíceis de aceitar, situações que não conseguimos compreender. Nestes momentos, devemos prestar bem atenção aos sinais de nossa consciência, com AMOR e paciência, mergulhar profundamente nos sentimentos é a melhor solução. Reconhecer estes sentimentos é o verdadeiro caminho para a cura, para o resgate de nossa verdadeira identidade como seres ilimitados, integrantes de um TODO ABSOLUTO, que é AMOR, que é Deus.

Nós somos partículas de Deus e jamais estivemos ou estaremos completamente sozinhos, pois Deus está em tudo e compartilha de seu AMOR e Sabedoria através de infinitas formas de manifestação. Do visível ao invisível, sempre estamos acompanhados, sempre tem “alguém zelando por nós”, e até que nós possamos viver o fato de que SOMOS TODOS UM, temos um longo caminho de aprendizados para compreender a vida, para despertar a compaixão e a sabedoria suprema. “Aquilo que não mata, fortalece”, e essa é a essência dos desafios, nos tornar seres mais fortes, cada vez mais capazes de superar os desafios e auxiliar os demais irmãos na senda da evolução.

Refletindo sobre esta questão, abri o livro “A essência do Bhagavad Gita” e sincronicamente encontrei os seguintes dizeres:
“Desapego, não-identificação do ego com filhos, esposa, lar (e tudo o mais que daí decorre), igual aceitação da felicidade e do infortúnio, devoção inabalável a Mim e a identidade Comigo pela prática do yoga; amor à solidão; desinteresse pela sociedade mundana e perseverança na busca do autoconhecimento, ânsia de sabedoria autêntica, que é a meta de todo o aprendizado. As qualidades que se opõe a essas virtudes são sinais de ignorância.”

Muito interessante encontrar em um livro de mais de 500 páginas, de maneira aleatória a frase “amor à solidão”, em um diálogo em que Krishna explica ao seu discípulo Arjuna as qualidades de um bom devoto. “O yogue percebe Deus como igualmente presente em tudo” e essa é a maior sabedoria que podemos obter através da solidão, perceber, através da meditação e da entrega absoluta, que nós também somos um pedaço de Deus, de fato nós somos Ele em ação.

Bom, essa é minha reflexão de hoje, minha meditação de SER AMOR e escrever sobre isso… espero que tenha alguma utilidade para que você que está lendo perceba que você é TUDO que existe e TUDO o que realmente importa. Por tanto, cuide-se bem, haja com AMOR, paciência, perseverança, resiliência, constância e muita fé para continuar em frente!

Que a paz seja convosco.
Mautama

This entry was posted in Ensinamentos de Krishna and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta