Exemplos pessoais de utilização da lei da atração

“Gosto de ouvir histórias e exemplos de pessoas que usaram ou usam a lei da atração e conquistaram seus objetivos, no seu caso ela funcionou bem?”

Sim, no meu caso ela funcionou muito bem e em todos os casos ela funciona exatamente da mesma maneira, pois é uma Lei Universal. Seu princípio de funcionamento é vibracional e impessoal, uma Lei que rege as manifestações materiais e nos diz que vibrações atraem vibrações semelhantes. Sempre estamos atraindo os eventos que acontecem em nossas vidas, conscientemente ou não, com intenção e vontade, ou até mesmo “por acaso”.

Realizar objetivos através da utilização consciente da lei da atração é uma reação natural do universo em resposta as vibrações que estamos irradiando através de nossos pensenes (pensamentos + sentimentos + energia).
Tenho muitas experiências pessoais com a lei da atração, algumas simples e outras mais longas e detalhadas, dentre as quais escolhi duas experiências para compartilhar com o amigo que as solicitou.

Conheci a lei da atração no ano de 2007, e desde então comecei a praticá-la de maneira consciente para conseguir meus objetivos. Um dos meus primeiros resultados expressivos ocorreu no ano de 2008, ocasião em que eu ainda estava no serviço ativo como sargento do exército.
Neste ano, nós os sargentos, sabíamos que havia apenas uma vaga para um estágio de especialização, e que eram mais de 150 os candidatos aptos para concorrer. Algo que tornava esta concorrência ainda mais difícil era o fator de que o sargento seria escolhido pelo comando do batalhão.
Desde o primeiro instante em que soube da vaga, tive a certeza de que seria eu o escolhido, e comecei a visualizar positivamente que a vaga seria minha. Internamente, comecei um processo de criação e certeza absoluta, e mesmo assim também pratiquei o desapego, sabendo que aquilo só chegaria até mim se eu merecesse, e no caso da lei da atração, o merecimento é vibracional.
Ocorreu então um primeiro evento que chamou a atenção. As diretrizes para escolher o candidato a vaga mudaram. O que de início seria por escolha do comando, passou a ser um “concurso interno” entre os sargentos escolhidos pelos seus comandantes de companhia.
Fui escolhido pelo tenente meu comandante para representar a companhia, e recebi deste grande militar toda ajuda e incentivo, inclusive bons materiais de estudo. Este tenente, que havia concluído o mesmo estágio no ano passado, e sido escolhido como destaque do mesmo, foi um grande motivador de meu processo mental, e ajudou significativamente em meu processo vibracional.
O resultado da prova foi que obtive as melhores notas do batalhão e então fui designado para o estágio. Esta foi a primeira parte da história.

Passaram-se uns dois meses, e no dia em que eu me despedia de uns amigos para ir ao estágio (que seria realizado em outro estado), um deles me disse assim:
“- Aí mermão, quero ver se você é o cara da lei da atração mesmo. Não foi tu que escreveu um livro? Agora vai ter que provar.
Você vai para aquele estágio e vai me trazer aqui o troféu de destaque quando voltar. Se você fizer isso, aí sim vou acreditar na lei da atração.”

Gostei muito do desafio, e na hora meu subconsciente aceitou a programação, e me visualizei voltando com o troféu em mãos e entregando para o meu amigo que morava no mesmo prédio.
Esta vibração inicial foi tão intensa que nem precisei reforçar muito a ideia durante o estágio. Jamais algum 3º Sargento do batalhão havia sido destaque no módulo comandante de pelotão, pois a concorrência era direta com os oficiais e sargentos mais experientes, então eu sabia que seria uma missão árdua.

Para resumir, fiz o que deveria fazer. Concentrei-me ao máximo em fazer as coisas bem feitas, ajudei meus amigos e por sincronicidade, fui escolhido para ajudar um militar do Suriname traduzindo as instruções e auxiliando na adaptação. Um detalhe interessante, é que este sargento era especialista em intendência, trabalhava com a parte logística, e eu era de infantaria, nossos assuntos eram bem diferentes. Essa foi uma parte especial da história, pois em um momento, todos estudavam para prova de infantaria e eu estava a ajudar o amigo do Suriname com assuntos totalmente diferentes. Cheguei a pensar que deveria ir estudar meus assuntos, mas mesmo assim meu coração me dizia que era mais importante ajudar o amigo estrangeiro que deveria garantir pelo menos o grau mínimo para concluir o curso.

Sgt Winston militar do Suriname

O resultado foi impressionante. Na prova de conhecimentos gerais do curso para os infantes, caíram 10 questões sobre logística, e eram muito parecidas com as que eu havia estudado com o intendente de outros país. Acertei as 10 questões o que me colocou consideravelmente à frente dos outros militares na pontuação das provas teóricas.
O destaque do curso era escolhido por seu aproveitamento nas provas, mas principalmente pela atuação em campo em diversas funções. Era escolhido por um consenso entre os instrutores e monitores do curso.
Neste ano para surpresa de muitos, pela primeira vez um sargento foi escolhido o destaque. Quando ouvi meu nome, senti uma grande alegria e mal podia acreditar que o troféu estava em minhas mãos, concretizando o exemplo da lei da atração.
Uns dias depois, bati na porta do apartamento do meu amigo, lhe entreguei o troféu mãos, dei-lhe um forte abraço e disse: Missão cumprida brother, mais alguma prova?

Tudo se tornava cada vez mais claro para mim, e minha certeza de que a lei da atração funcionava era cada vez mais intensa, e comecei a testá-la com mais frequência com outros objetivos.

Um deles foi o de comprar uma bateria maior e com mais pratos. Em meados de Agosto de 2008, criei um quadro de visualizações com meus objetivos. Dentre eles estava a aquisição da bateria, que eu visualizava diariamente, fazia questão de ouvir as músicas que eu gostava, de olhar a foto e me imaginava tocando, sentia o máximo de sensações possíveis.
Fiz isso durante uns dois meses seguidos.

Esta era a imagem central do meu quadro de visualizações em Ago/2008.

Quatro meses depois, decidi olhar os preços de algumas baterias por curiosidade, e o primeiro anúncio que vi, tinha uma bateria que embora muito menor, era um modelo muito semelhante aquela que eu visualizava, e por um preço cerca de 60% mais barato que o preço de mercado.

Recebemos exatamente o que pedimos?
Nem sempre.
Sempre recebemos o que merecemos!

 

Mautama Krishnarabi

This entry was posted in Lei da Atração, Perguntas e Respostas. Bookmark the permalink.

2 Responses to Exemplos pessoais de utilização da lei da atração

  1. Bruna Ferca says:

    Muito bom! Me inspirei!

Deixe uma resposta